O que acontece em Amsterdam, fica em Amsterdam

Por

Amsterdam, é daquelas cidades que não tem como não conhecer. Eu não concordo mas dizem que Amsterdam ou você ama ou odeia! 

Amsterdam é conhecida pelos museus, que estão entre os melhores do mundo, mas também pelas políticas sociais, que estão entre as mais liberais do mundo.

Uma cidade “cada um na sua”, que respeita a diversidade e a individualidade, e que escolhe lidar com as coisas de um jeito prático em vez de fazer rodeios em torno de questões polêmicas.

Os famosos Coffeeshops 

Antes de qualquer coisa é preciso desmitificar um pouco os Coffeeshops de Amsterdam. Não são lugares perigosos, não são mal frequentados, não precisa usar algum tipo de droga para frequentar e nem tão pouco é um lugar onde você vai ficar alucinado de tanta droga e poderá fazer o que quiser. Visitar um coffeeshop é sim um programa interessante.

Seja pelo aspecto cultural, já que a Holanda está na vanguarda da política mais libertária de entorpecentes, seja pelo aspecto sociológico, para tirar aquela impressão de que os usuários são pessoas estranhas, ou simplesmente pelo fato de ser um aspecto turístico da cidade (mas não vá sair tirando foto como se estivesse num museu,  ninguém ali quer ser importunado, por isso o bom senso é primordial). Mas isso também não significa que você turista precisa usar a droga para entrar em algum coffeeshop. Na verdade, o ambiente é equivalente a um bar, incluindo alem dos produtos da cannabis, tem cafés, chás, refrigerantes, sucos e comidas, lanches ( lembrando que a venda de bebida alcoólica é proibida).

Os coffeeshops são só mais um detalhe curioso dessa cidade que tem tantas outras coisas bacanas para conhecer. Por isso, abra sua mente e permita-se conhecer uma das cidades mais interessantes do mundo!

Dica de 3 coffeeshops que valem conhecer: The Bulldog,The Grasshopper e o Greenhouse. Importante: só permitem a entrada de maiores de 18 anos.

Como chegar 

Amsterdam possui um dos principais aeroportos da Europa, conhecido como Schiphol (AMS). A companhia que opera voos diretos entre o Brasil e Amsterdam é a KLM. Mas se não der pra ir de KLM não tem problema. Diversas companhias fazem a viagem com conexão em outras cidades europeias como Londres, Madrid, Paris, Portugal etc.

Para sair do aeroporto em direção à cidade existem diversas opções de transporte público: trem, ônibus, uber e táxi. E o melhor, todos são super eficientes e funcionam perfeitamente! Escolher qual a melhor das opções dependerá da localização do seu hotel.

Uma boa dica pra descobrir qual a melhor opção de transporte, não só para o aeroporto, mas para rodar em toda a Holanda, a dica é o aplicativo 9292. Ele é muito bom e dá a rota exata, o tipo de transporte e o tempo de cada deslocamento. Você pode inclusive salvar endereços mais utilizados como o do seu hotel, por exemplo, pra facilitar as simulações.

Recomendo muito que você baixe esse aplicativo e faça uma simulação entre o aeroporto e o hotel antes de viajar. Assim você já chega sabendo qual meio de transporte irá utilizar.

Anota ai! Opção do táxi, como o aeroporto fica bem afastado da cidade, essa é a mais cara de todas.

Melhor época para visitar Amsterdam 

Amsterdam, que é a capital dos Países Baixos (sim, esse é o nome correto do país!) está mais ao norte da Europa e por isso possui invernos rigorosos: muito frio e neve. Para uma visita mais agradável, com temperaturas mais sociáveis, recomendo visitar a cidade a partir do início da primavera até o final do outono, entre abril e outubro. Mas sempre vá preparado para pegar frio. Lá o vento é sempre implacável. Abro aspas “ procuro um chapéu azul ate hoje”

Onde se hospedar em Amsterdam 

Para começar a falar desse assunto, preciso fazer um alerta: esteja preparado para preços mais elevados do que em outras capitais europeias. A hospedagem em Amsterdam é cara e não tem muito para onde correr.

Decidir onde se hospedar em Amsterdam nem sempre é missão fácil.

O mais comum é ficar na dúvida sobre qual seria a melhor região da Aqui a regra número um para o sucesso (aquele amado bom custo x benefício) é a antecedência. E’ uma cidade muito turística, as melhores opções de hospedagem estão sempre lotadas. Pra quem deixa para fazer a reserva em cima da hora corre o sério risco de só encontrar hotéis bons mas muito caros.

A boa notícia é que a cidade conta com uma rede de transporte público super eficiente, o que torna os deslocamentos muito mais fáceis caso a localização não seja das melhores. Então se o orçamento for curto e não tiver opção de ficar nos lugares mais tops, não desanime. Em Amsterdam tem jeito pra tudo!

Centro

A região do centro de Amsterdam é o bairro mais antigo, onde a cidade começou há muitos anos atrás.

O legal de se hospedar no centro é a facilidade de locomoção, tanto a pé, pois várias atrações da cidade ficam nessa região (Praça Dam e Red Light por exemplo), como em todos os meios de transporte possíveis que passam por ali (tram, ônibus, trem, metrô e por aí vai). Além disso, fica bem próximo da Centraal Station, o que facilita os deslocamentos para o aeroporto e pra fora da cidade também.

Outra vantagem é a facilidade de ter tudo a poucos passos: restaurantes, lojas, supermercados, bancos, enfim, tudo o que for preciso. Por ser a região mais turística da cidade é sempre muito movimentado.

Hotel Pax, a localização perfeita: entre o Jordaan e o Centro. É bem estilo holandes o staff bem atencioso, e me deram várias dicas de lugares pra ir nas redondezas.

Do aeroporto até o hotel peguei o trem até a Centraal Station e depois um táxi por 10€. Em cinco minutinhos de caminhada estava na Praça Dam, dez minutos Red Light, Jordaan e por aí vai.

Jordaan

É um bairro super charmoso de Amsterdam. Lá você vai encontrar ruas e canais lindos, lojas, bares e restaurantes descolados. A casa da Anne Frank fica lá e claro parada obrigatória. É um lugar super bacana para se hospedar.

O bairro é uma boa opção pois está bem próximo do centro e de toda a infra de transportes. Porém no Jordaan tem preço, sempre nas alturas!

Oud-West

O “velho-oeste” de Amsterdam faz divisa entre o Jordaan e o Vondelpark. É uma região muito bacana, com bastante comércio e transporte, próximo de atrações como o Vondelpark, que é uma ótima pedida pra alugar uma bicicleta dar um rolê no maior estilo holandês (experiencia da fazer absolutamente em Amsterdam). E tem também a Leidseplein, uma praça que é repleta de bares e restaurantes.

Aliás, foi a minha melhor experiência de hospedagem em Amsterdam até hoje, se chama Colourful Bed and Breakfast, tem a varandinha charmosa virada para rua com mesa e cadeiras no final do dia beber uma taca de vinho e relaxar.

Oud-Zuid: Museum Quartier 

O “velho sul” de Amsterdam é uma região bem longa que pega umas áreas interessantes da cidade. O bairro chamado de Museum Quartier é um bairro super nobre onde as ruas são lindas, com lindos prédios e os restaurantes excelentes. A localização do bairro é ótima pois alguns dos principais museus da cidade ficam aqui o famoso Van Gogh e o Rijksmuseum. A praça dos museus é ponto de parada obrigatória pois é lá que fica ficava o mais disputado dos painéis I Amsterdam (tem mais um no aeroporto e outro no norte de Amsterdam).

O Vondelpark Hotel, super recomendo tem muita coisa bacana nessa área da cidade.

O hotel Boutique Hotel Maxime, pequeno mas super estilosos todo moderninho tem até elevador, um luxo para os padrões holandeses!

Oud-Zuid: De Pijp

Outro bairro legal em Amsterdam. Lá é uma região mais boêmia e tem vários barzinhos com mesas nas ruas, frequentado dos moradores da região que costumam ser bem animados.

Nesse bairro também ficam outras atrações bacanas da cidade como o mercado de rua Albert Cuypmarkt e a famosíssima Heineken Experience.

Aeroporto

Para quem está na dúvida se vale a pena se hospedar próximo do aeroporto. A região do aeroporto é um bairro bem tranquilo que mistura algumas poucas casas, com hotéis e vários galpões de empresas que prestam serviços ao aeroporto. Por mais que pareça estranho, não é. Pelo contrário, é Amsterdam e continua sendo lindo de todo jeito.

Porém não há qualquer comércio na região. Quem se hospeda ali está a cinco minutos do aeroporto mas isolado de todo o resto da cidade.

A dica e’ ficar hospedada no Ibis Schipol Amsterdam Airport. Além de transfer gratuito de/para aeroporto, bem pertinho dele, a uma curta caminhada, tem um ponto de ônibus por onde passa a linha 197, que para na Leidseplein (dá uns 25 minutos de viagem). Isso é um super facilitador para chegar até o burburinho da cidade sem muito trabalho.

O quarto do Ibis dispensa apresentações. É tipo Big Mac, é igual em todo lugar. Os atendentes são super solícitos e no hotel tem restaurante, lojinha de souvenir e várias máquinas de lanches e bebidas expressas.

A localização mais exótica: as famosas casas-barco

Experiencia sensacional se hospedar em uma casa-barco, incrível!!. Antes para alugar uma casa-barco era bastante complicado.

Hoje já está tudo mais organizado. E tem varias oferta de casas-barco e’ possível alugar uma inteiras ou alugar so’ um quarto.

Hotel Linden(antigo Acacia) dá vista para o canalzinho dos fundos do bairro, e está bem perto da parada do ônibus 21.

Hotel Sjudoransjé um bed & breakfast estilosíssimo (e, por isso, um pouco caro). Já o Bridge Inn combina vista do canal (Brouwersgracht) com preços abordáveis.

Hotel Pulitzeré um hotelão perfeitamente disfarçado de hotel-butique. São 25 casas antigas combinadas na mesma propriedade.

Como se locomover em Amsterdam

O transporte público funciona que é uma maravilha! E Amsterdam é daquelas cidades pra você usar e abusar dos transportes públicos pois conta com uma ampla rede de ônibus, trens, metrô e trans. E o melhor, todos eles interligados!

Dependendo do tempo de estadia na cidade, avalie a possibilidade de comprar um dos cartões de transporte existentes na cidade, como o Amsterdam Travel Ticket, I amsterdam City Card, OV-Chipkaart.

O esquema para quem não está acostumado, inicialmente pode parecer complexo. E não esqueça de baixar o 9292. Ele salva vidas!

Outra dica para se movimentar por Amsterdam é bem óbvia: a bicicleta. E é interessante observar as pessoas local com suas bikes e costumes, tem de todos os estilos e você vai ver muita coisa curiosa por lá.

Alugar uma bicicleta em Amsterdam é bem simples. As principais empresas são a MacBike e a Black Bikes cobram o mesmo preço e possuem diversas lojas espalhadas pela cidade. A Black aceita devolução em qualquer uma das lojas, já a Mac só aceita devolução na mesma loja de retirada. Eu optei pelo aluguel de 24hrs na Black Bikes 17,50€ já com seguro incluído. Não é necessário reservar com antecedência. O processo é bem simples, eles fazem um cadastro, pegam dados do passaporte, cartão de crédito e pronto. É só pedalar pro abraço!

O que fazer em Amsterdam

Para uma primeira visita é sempre indicado incluir aqueles programas clássicos. O legal é que essas atrações são bem próximas umas das outras, pois o centro de Amsterdam é relativamente pequeno. Por isso recomendo conhecer a maioria dos lugares a pé. Assim você já faz o primeiro clássico de Amsterdam, que é caminhar pelas ruas da cidade e observar o casario antigo, os canais, as bikes, lojas, os holandeses.. Ai tudo é tudo tão lindo!

Dica mais preciosa de todas: escolha sapatos confortáveis para caminhar o dia todo. Seus pés agradecerão.

Dam Square é um dos principais marcos de Amsterdam. Construída no século 13, a praça é um dos principais pontos turísticos de Amsterdam. É lá que fica a sede do Palácio Real, que hoje funciona como uma das residências da família real holandesa, aquele museu de cera que todo mundo curte, o Madame Tussauds e a Bijenkorf uma tradicional loja de departamentos holandesa.

Mercado das Tulipas seguindo a Kavelstraat (uma rua que começa na Praça Dam, fechada para carros e possui muitas lojas) até o final chega-se ao Bloemenmarkt, um mercado de flores flutuantes, mais conhecido também como Mercado das Tulipas. O lugar é quase que passagem obrigatória pois fica no caminho para a Leidseplein. Lá é possível encontrar também muitas lojas de souvenir, que tem os melhores preços da região.

Jordaan é um bairro super charmoso de Amsterdam. Lá você vai encontrar ruas e canais lindos, lojas, bares e restaurantes descolados.

A Casa da Anne Frank hoje a casa de Anne a menina judia que contou sua história em um diário que se tornou um dos livros mais importantes sobre a Segunda Guerra Mundial, fica lá. Porém o local é pequeno e o número de visitas por dia é limitado. Ou seja, sempre rola uma super fila. Mas vale muito a pena, quem já leu o livro ou assistiu ao filme. Quando entra tem uma sensação bem estanha, emociona.

A9 Straatjes que em bom português quer dizer nove ruas. É um conjunto de ruazinhas fofas cheia de brechós e outras lojinhas bacanas. São elas: Reestraat / Hartenstraat / Gashuismolensteeg / Oude Spiegelstraat / Wolvenstraat / Berenstraat / Wijde Heisteeg / Huidenstraatt e Runstraat.

Red Light District a zona da luz vermelha em Amsterdam, acho que dispensa apresentações né? É exatamente a zona de prostituição da cidade. Mas lá, a profissão é legalizada, segue regras locais rigorosas e ainda sofre incidência de impostos.

As meninas ficam expostas em vitrines, com luzes vermelhas e ficam fazendo ceninha, chamando os possíveis clientes. É no mínimo curioso!  Inegável é o fato que quem vai a Amsterdam precisa ir lá para conhecer. E antes que pense que é um lugar tipo inferninho, perigoso etc, te adianto que é suuuper turístico e vive cheio. Além do mais o bairro também tem sua porção residencial, então a coisa toda é bem curiosa: prostitutas, turistas, idosas saindo para comprar o pão de manhã cedo. Além disso, a região possui diversos bares que sempre estão lotados. A diversão é garantida! Ah e nunca é demais avisar que não pode tirar fotos das meninas, é proibido.

Praças de Amsterdam Plein em holandês significa praça, então quando você ler algo XXplein é de uma praça que eles estão falando. E algumas praças são famosos redutos da boemia holandesa e possuem vários barzinhos em volta que estão sempre cheios. Apesar do frio, a galera de lá curte muito um happy hour.

Rembrandtplein e Leidseplein são as praças mais conhecidas e movimentadas.

Heineken Experience a famosa marca de cerveja é holandesa e iniciou sua fabricação em Amsterdam. Hoje o prédio que começou toda essa história de sucesso foi transformado em uma atração turística, chamada de Heineken Experience.

O valor da entrada é de 16€ por pessoa e o ingresso pode ser comprado através do aplicativo ou na hora, na bilheteria. Só que a fila costuma ser beeem grande, por isso recomendo baixar o aplicativo e comprar os ingressos, certamente vai economizar um bom tempo.

O tour vai contando a história da cervejaria e mostra o processo de produção da cerveja. A maioria das etapas são interativas e rola até provas da cerveja fresquinha.

O final do tour para mim foi o ponto alto da visita pois é a ala mais moderna onde tem várias salas interativas, cerveja, com games, cervejas, salas espelhadas, cervejas, campanhas de marketing que lembram as histórias da cerveja.

Museus

O Rijksmuseum e o Van Gogh são os museus mais importantes da Holanda e ficam bem pertinhos um do outro, na Museumplein. Além de linda, é aqui que fica ficava um dos três painéis Amsterdam.

Tem também os curiosos museus o da Maconha e o do Sexo.

Painéis Amsterdam uma das atrações mais conhecidas da cidade é o painel com letras gigantes “I Amsterdam”. Na verdade foram instalados três painéis no aeroporto, na Museumplein e na parte norte da cidade, ao lado do ADAM Lookout (atrás da Centraal Station).

Vondelpark, não deixe de passar por ele, seja a pé ou de bike.

Moinho Holandês dentro de Amsterdam

Se você não tiver tempo para visitar Zaanse Schans para ver os moinhos bem de perto, ainda existe um único exemplar perdido na cidade. Fica na Brouwerij’t IJ, uma cervejaria artesanal, muito tradicional por lá.

O local é um pouco afastado do centro turístico, mas vale o passeio

Nightlife baladas em Amsterdam

A noite de Amsterdam ferve de segunda a segunda, começa por volta das 20h e acaba cedo, por volta de 1h da madrugada… São raros os lugares que passam das 2h, só mesmo os dancing clubs e alguns poucos bares aos finais de semana. Vale dar uma olhada na revistinha I am Amsterdam para saber o que está rolando de bom na cidade.

Nos arredores de Amsterdam

Quem viaja com mais tempo e quiser dar uma conferida nos arredores de Amsterdam, tem muita coisa boa e interessante pra ver hein.

Keukenhof, é a exposição de flores, em especial as tulipas, que ocorre somente durante a primavera. É um dos programas super clichês pra quem visita Amsterdam nessa época, mas é também uma das coisas mais lindas que já vi.

Zaanse Schans, outro clássico holandês são os moinhos de vento. Já foram muito utilizados para as mais diversas finalidades, hoje eles estão mais para serem contemplados, numa visitinha rápida à cidade vizinha de Zaanse Schans.

Compras em Amsterdam

Sobre pontos interessantes na cidade para compras vale a pena dar uma volta na Kavelstraat para dar uma olhada no comércio local, tem muitas lojas, além de filiais de grandes redes como Zara, Giorgio Armani, Dolce&Gabbana, H&M etc.

O que eu adoro em Amsterdam e nunca deixo de dar uma passada é o mercado Albert Heijn. Você vai achar que é loucura, mas eu adoro conhecer mercado nos lugares que vou. Sempre compro muitas besteiras, tipo chocolate suíço, biscoitos holandeses, queijos entre outras delicias.

*Para quem curte um mercado de pulgas, o da Waterlooplein é ótimo. Sempre que vou encontro coisas interessantes. Funciona de segunda à sábado, de 9:30h às 18h.

O que comer 

Para as gordices de plantão, aproveite as várias lojas de guloseimas maravilhosas espalhadas pela cidade, uma perdição.

As comidas tradicionais podem ser encontradas em todos os cantos:

*Os cones de batatas-fritas com cobertura de queijo derretido;

*Febo é uma rede de lanchonetes que não possui vendedores. Os salgados ficam expostos em janelinhas e você paga e retira sozinho;

*Stroopwaffel que eu poderia chamar de biscoitinho dos deuses, mas vou dizer que é um wafflle de massa fina recheado de caramelo. *No Albert Cuypmarkt tem barraquinha que faz na hora e o caramelo vem derretido.

*Queijos nesse quesito os holandeses dispensam apresentação. Tem lojinha em todos os lugares é difícil não gostar de todos!!

*A torta de maçã a grande indecisão é se comer com ou sem chantilly.

*O peixe, chamado de haring é curtido na salmoura e tem um sabor forte, fará você se sentir em um drakkar viking, prestes a pular. Se você realmente quiser testar peça com típico acompanhamento de cebolas (e em Amsterdam, picles) e diga depois “veeemm caaahhhh amor”. Uh!!! Existe um jeito típico de comer o haring, que é segurando ele pela cauda acima de sua cabeça, olhar para o alto e devorar por baixo.

*O típico kibbeling bacalhau fresco empanado em uma massa com farinha e leite, fritam em abundante óleo. O nome disso é kibbeling vem acomanhado chips com maionese temperada.

*Queijos típicos holandeses

A Holanda disputa e um dos apelidos (pode soar pejorativo, então cuidado) de holandês aqui é “kaaskop”, literalmente cabeça de queijo (no sentido de cabeça redonda, como um pedaço de queijo).

De toda a forma, estou com os holandeses nessa: os queijos típicos holandeses são sensacionais, e quando eu penso que o queijo básico padrão daqui é o Gouda, me dá uma certa alegria. Um dos meus favoritos! Você pode provar os queijos típicos holandeses em muitos lugares.

Porém, tem um lugar bem bacana onde você aprende sobre a fabricação e degustar o queijo holandês enquanto toma um vinho. Um programa sensacional

*Dizem que a alma holandesa tem gosto de croquete. Os holandeses amam, e quando moram fora, sentem grandes saudades, lamentando que ninguém faz croquete como na terra dos moinhos.

Um lanche simples… Basicamente uma massa empanada e frita recheada de carne, mas pode ser de outros revheios também. O de camarão é popular, e tem até versão vegetariana.

O kroket pode vir sozinho ou pode vir no pão (caso em quê vira um broodje kroket), mas recomenda-se sempre uma saudável dose de mostarda daquelas ardidas. Acompanhar com uma cerveja é opcional, mas altamente popular.

*Stroopwafel típico doce holandês não poderia fechar essa lista sem citar o Stroopwafel ia ter revolução no Ducs. E’ a waffle holandês recheado de um gordolento caramelo-delícia. Se não conhece, essa é a sua chance! Você pode comprar stroopwafel em supermercados, mas aproveita que você está na cidade e vá no supra-citado Albert Cuyp (o mesmo que tem os queijos), e pega um fresquinho feito na hora. O Caramelo vem derretendo e escorrendo, melecando sua mão, sua vida e sua alegria. É outro nível!

Se resolver comprar no supermercado (trás uma caixa fechada) experimenta tomar ele do jeito típico holandês.

Passa um café ponha em uma caneca e tampe com um stroopwafel. Espere uns dois ou três agonizantes minutos, até o caramelo todo derreter e absorver aquele aroma de café ou chá. #demorrer

Dicas gerais e importantes 

Amsterdam é uma cidade relativamente pequena e as atrações não são muito distantes uma das outras. É possível fazer quase tudo a pé. Por isso a minha maior recomendação ao passear pela cidade é: use sapatos confortáveis.

Um programão super recomendado em Amsterdam é visitar o jardim de tulipas, o Keukenhof. Porém o parque só fica aberto durante a primavera.

Os melhores programas de Amsterdam é não ter programa, mesmo  se perdendo pelas ruas e canais da cidade. “Eu que o diga” Assim você sempre descobre lugares novos e incríveis que não estão em guia nenhum, a melhor parte!!

Aja como um local e aproveite o que a cidade tem de melhor. Sente numa mesinha, peça uns bons drinks e observe a cultura local. Você vai ver que povo legal que eles são!

*Apesar da língua deles ser indecifrável, todos falam inglês, portanto é bem fácil de se virar por lá. A internet e’ gratuita em toda a cidade e te permite buscar qualquer informação de última hora e facilita muito a vida do viajante, como pesquisar as rotas no 9292.

*Esteja sempre com documentos e leve uma cópia do passaporte.

*Não urine na rua.

Não grite, buzine ou faça barulho que possa atrapalhar os moradores locais.

*Não compre ou consuma “hard drugs” como cocaina, heriona, acido, ecstasy etc. as penas são severas.

*Não fume cannabis perto de escolas ou em lugares e monumentos públicos.

*Não fotografe dentro de coffee shops sem autorização.

*Não fotografe as vitrines nem desrespeite prostitutas/os.

*Em hipótese alguma transporte cannabis ou derivados, em qualquer quantidade, de volta para o seu país.

#Bem, é isso pessoal espero que essas dicas possam  ajudar a clarear as ideias e motivar a colocar Amsterdam, na lista das próximas viagens. #GoodTrip

Fonte: Jornal Na Pauta Online

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
38,157SeguidoresSeguir

INSTAGRAM

Evento gratuito oferece degustação de colágeno

Ação voltada para mulheres será realizada neste sábado, 30, na Suprafarma em Palmas - TO A pele é...

Violência doméstica mata uma mulher a cada três dias na Alemanha

Alemanha registra 140 mil casos de agressões e ameaças cometidas por parceiros ou ex-parceiros em 2018: 81% das vítimas eram mulheres....

Circo Zanni inaugura espaço permanente na Raposo Tavares com apresentações em novembro e dezembro

Grupo circense comemora quinze anos de história com inauguração de sua sede - mais novo centro cultural de Cotia. De novembro...