Família e amigos se mobilizam para repatriar corpo de brasileiro que morreu por meningite em Londres

Por

Piracicabano Danilo Fiorin morava na capital da Inglaterra há 4 meses. Campanhas divulgadas por redes sociais foram criadas para tentar reunir dinheiro e pagar translado.

A família e os amigos do piracicabano Danilo Fiorin, que morreu de meningite na Inglaterra há três dias, iniciaram uma mobilização para reunir dinheiro e repatriar o corpo do cabeleireiro de 31 anos. A luta é para conseguir R$ 50 mil e fazer o velório e o enterro dele em Piracicaba (SP).

Fiorin se mudou há cerca de quatro meses para a capital da Inglaterra, Londres, onde vivia com a irmã e uma prima. A mudança era um sonho do brasileiro, segundo os amigos. “Desde que eu conheço ele o sonho era ir pra lá”, lembra Bruna Rodrigues.

O cabeleireiro voltaria para uma visita surpresa à família no dia 26 de abril, mas foi diagnosticado com meningite e não teve condição de embarcar.

A família, no entanto, não sabia que a doença era tão severa. O tempo entre o diagnóstico e a morte foi de sete dias. Nesse período, o cabeleireiro chegou a passar por uma cirurgia para reduzir a pressão do cérebro.

Danilo Fiorin morava em Londres; família precisa juntar R$ 50 mil para repatriar corpo do cabeleireiro de Piracicaba — Foto: Reprodução/Facebook/Danilo Fiorin

Danilo Fiorin morava em Londres; família precisa juntar R$ 50 mil para repatriar corpo do cabeleireiro de Piracicaba — Foto: Reprodução/Facebook/Danilo Fiorin

Além da dor de perder o cabeleireiro, a família não encontrou condição para custear sozinha o translado do corpo dele para o Brasil.

Agora as pessoas que amam Fiorin buscam conseguir se despedir do cabeleireiro. A rede de auxílio envolve os mais variados meios de arrecadação de dinheiro e a iniciativa dos amigos foi espontânea.

“Na hora a gente já falou ‘Espera aí, a gente vai fazer alguma coisa. E começamos”, disse a amiga Priscila Aversa.

De vaquinha à venda de rifas

Nas redes sociais, a hashtag #repatriacaodanilofiorin reúne todos os tipos possíveis de ajuda. Desde amigos vendendo rifas para bolo até salões de beleza com promoção revertida para a causa.

“Nós vamos abrir especialmente neste domingo para fazer uma ação entre hidratação e escova e todo o valor arrecadado vai ser em prol desse último momento com o Danilo”, afirma uma amiga dele, Rosana da Silva.

Uma vaquinha on-line foi iniciada. Há pessoas recebendo encomendas de balas coco também para direcionar verba para a repatriação.

Fiorin era querido entre os colegas de profissão, o que deu força ainda maior para a mobilização. “O que a gente quer é só vê-lo pela última vez e poder se despedir”, diz Priscila Aversa.

“Ele sempre fez todo mundo sorrir, não tinha tempo triste”, afirma a amiga Bruna Rodrigues.

Mobilização para repatriar corpo do piracicabano Danilo Fiorin  — Foto: Reprodução/Facebook/Priscila Aversa

Mobilização para repatriar corpo do piracicabano Danilo Fiorin — Foto: Reprodução/Facebook/Priscila Aversa

A irmã com quem Danilo morava em Londres, Camila Fiorin, agradeceu aos que estão empenhados na campanha. “Gostaria de agradecer a cada um de vocês. Quem fez doação, quem não pode fazer doação, mas compartilhou, quem doou em dinheiro, quem doou em produto, que doou em serviço, muito muito obrigada”.

“Eu e minha família estamos super emocionados com isso tudo. A gente já sabia que o Danilo era super querido, mas agora a gente tem certeza disso tudo”, reforçou, em vídeo enviado de Londres.

Se essa dor tão gigante vai se tornar um pouquinho mais confortável, fazendo com que ele seja velado e enterrado no Brasil, isso eu devo a vocês, cada empresa, cada familiar que compartilhou e ajudou”, afirmou Camila.

Danilo Fiorin é de Piracicaba e morava em Londres; família tenta repatriar corpo — Foto: Reprodução/Facebook/Danilo Fiorin

Danilo Fiorin é de Piracicaba e morava em Londres; família tenta repatriar corpo — Foto: Reprodução/Facebook/Danilo Fiorin

Fonte: G1

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
38,423SeguidoresSeguir

INSTAGRAM

O útero artificial que vai salvar vidas

Espera-se que esteja pronto para utilização em clínicas nos próximos cinco anos. Este útero artificial, desenvolvido por uma Universidade holandesa, tem...

ONU e a dívida dos EUA

Os Estados Unidos vão pagar, antes do final do ano, “a maior parte” da sua dívida de 2019 à ONU, organização que...

Judocas paulistas participam de intercâmbio no Japão

Parceria entre Ajinomoto do Brasil e Federação Paulista de Judô levará 18 jovens entre 15 e 17 anos para treinamento na...