What is love?

Por

Por Paula Tooths e Cristiane Lebelem

No Brasil, o mês de junho é especial para os namorados. É a época de celebrar o romance, fazer simpatias para atrair amor, e de preferência conquistar o coração da pessoa amada. Apesar do dia mais romântico do ano tanto nos EUA como no Reino Unido ser o dia 14 de fevereiro, dia de São Valentin, dos dois lados do oceano, os brasileiros celebram o amor.

Os que têm os seus pares de outras nacionalidades comemoram as duas datas. Batemos um papo com alguns casais para entender a química dos brasileiros com os estrangeiros e saber “what the LOVE is” para os britânicos e para os estadunidenses que se apaixonam por corações brasileiros. Acompanhe!

Brian Wadey é um desses ingleses tradicionais e há 10 anos vive uma história de amor com Nagyla, uma mineira que como ela mesma diz: “botou o inglês nos trilhos”. 

Foto Reprodução

Nagyla e Brian – Londres

Brian conta que apesar de ter se entrosado com muitas coisas do Brasil, foi o caráter e personalidade da brasileira que mais chamou a atenção. “Eu não me apaixonei pela Nagyla por ela ser brasileira. Ela poderia ser de qualquer lugar até mesmo da Islândia. Fiquei apaixonado pela maneira que ela vê a vida. Ela é guerreira e batalha para crescer”, destaca.

Mas nem pense que as mulheres brasileiras passam desapercebidas no quesito estética para os estrangeiros.  “A brasileira é diferente. Cuidam muito mais de si mesmas do que as europeias. Passam horas se arrumando, mas também estão sempre impecáveis”, comenta o marido de Nagyla.

Claro que desta relação tem o lado em que pesa a comparação com os relacionamentos anteriores, e no caso das mulheres brasileiras é inegável que os ingleses normalmente são mais tranquilos que os homens brasileiros. Nagyla revela que não tem problemas com o marido quando quer sair com as amigas, e ter sua própria individualidade na relação.

Neto e Lauren estão juntos há mais de quatro anos. Ele é brasileiro e ela, britânica. Para ilustrar o mês dos namorados, eles contaram de maneira descontraída quais são as principais diferenças entre namorar pessoas de diferentes nacionalidades.

Foto Reprodução

Neto e Lauren – Inglaterra

Neto lembra que claro, já teve parceiras brasileiras, mas quando chegou em Londres há 16 anos, a primeira namorada era inglesa. De acordo com ele, não se pode generalizar, mas as mulheres inglesas deixam seus parceiros mais livres, dão espaço para a individualidade, enquanto as brasileiras têm muita dificuldade em respeitar a decisão do homem de ter momento mais individualizado para si. “O que não e saudável para o relacionamento”, desabafa. “A mulher brasileira tem necessidade de estar o tempo todo grudada, e com isso não dá o espaço que se precisa ter para que exista uma relação saudável”, relata.

Neto destaca que a desconfiança e a marcação da mulher brasileira resultado da cultura social, na sua opinião. “Já era assim na época de nossos avós, de nossos pais e continua sendo”, conclui.

O brasileiro diz que quando o homem explica seu estilo de vida e negocia isso claramente com uma namorada britânica, dificilmente terá problemas em ser entendido. E ele dá dicas para outros homens que também buscam namoradas na terra da rainha: “Respeite a cultura de sua parceira. Não invada o espaço dela e não imponha regras.”

Já Lauren diz que a maior diferença esta no comportamento. Ela conta que os brasileiros são muito protetores e isso pode acabar em ciúmes. “Eu tenho muita sorte. O Neto sempre diz que eu sou a melhor coisa que aconteceu em sua vida. Ficamos noivos no último verão, no ar mágico de Nova Iorque”, lembra.

Ela acredita que quando um homem brasileiro ama uma mulher, ele ama por completo. A maneira carinhosa e a preocupação na medida certa, sem invadir o espaço e o que ela mais gosta na relação.

“Ser honesta e dividir as suas preocupações são as melhores dicas que eu posso dar”, conclui Lauren.

E é justamente o espaço e a individualidade que outro casal do outro lado do Atlântico também destaca. A brasileira Nivea Bona se mudou de ‘mala e cuia’ para os Estados Unidos para viver com o marido Greg. Eles se conheceram no Chile, casaram no Brasil e já estão casados há cinco anos.

Foto Reprodução

Nivea e Greg – Estados Unidos

Greg acredita que tudo está relacionado com boa conexão e comunicação e nada com a nacionalidade. O grande diferencial é que cada um deles traz para dentro de casa, diferente perspectiva e cultura, e a magia está na mistura.

“Penso que não é o estereotipo, mas o que realmente me encanta é o quanto respeitamos o espaço do outro. Somos fortes porque respeitamos nossas diferenças. Todas as relações deveriam ser assim”, conta Greg.

O marido de Nivea vê diferenças marcantes, principalmente na culinária e no comportamento. “Os brasileiros são socialmente mais extrovertidos, nos somos mais envergonhados. Isso não e só nacionalidade, mas a personalidade de cada um.”, relata.

Greg também dá dicas para quem pensa em ter um relacionamento com estrangeiros: “Seja aberto. Não seja o dono da verdade. As coisas podem ser feitas de maneira diferente por várias razões. Com o coração aberto, a vida pode ser mais divertida”.

Nivea conta que tudo aconteceu lentamente, no tempo certo. No Chile, ela tinha acabado um relacionamento e ele um casamento. Pouco tempo depois, ele mudou para o Brasil para aprender Português e o casamento aconteceu depois de alguns anos. “O que mais me chamou a atenção, e que ele sempre me respeitou sem limites. Sim, significa sim e não significa não. A gente é super diferente e tivemos que lidar com expectativas diferentes, com culturas diferentes, credos e jeitos de se resolver as coisas. Não é nacionalidade. Não e personalidade. É uma combinação.”, relata.

Cada vez mais, encontramos com brasileiras e brasileiros casados com estrangeiros e percebemos que, diferente dos contos, não é a nacionalidade que conta, mas a personalidade de cada um.

As mulheres acreditam que o comportamento carinhoso é o que se destaca. Para os homens, a maneira mais agressiva da brasileira, dona de si, é seguramente o que chama a atenção.

A mulher brasileira *

O que os estadunidenses não negam é que as brasileiras são tópico de conversa nas rodas dos amigos. E os encantos vão muito além da aparência física. A brasileira sem dúvida é diferente e o estrangeiro que se relaciona com um coração brasileiro, normalmente, não quer deixar este amor ir embora nunca mais.  E para quem teve uma paixão brasileira, a vida se resume – antes e depois da passagem dela por suas vidas.

O homem brasileiro*

É quase que um consenso geral tanto para as inglesas e para as estadunidenses que o homem brasileiro é diferente. A maioria das mulheres que têm um relacionamento com um brasileiro relata ser muito bem tratada e protegida. Também apontam que uma das principais qualidade é o fato de que os brasileiros se cuidam muito. Têm boa aparência, e se perfumam muito também. São carinhosos e gostam de fazer surpresas.

** Fonte: PM através de entrevistas por redes sociais nos três continentes.

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
38,423SeguidoresSeguir

INSTAGRAM

O útero artificial que vai salvar vidas

Espera-se que esteja pronto para utilização em clínicas nos próximos cinco anos. Este útero artificial, desenvolvido por uma Universidade holandesa, tem...

ONU e a dívida dos EUA

Os Estados Unidos vão pagar, antes do final do ano, “a maior parte” da sua dívida de 2019 à ONU, organização que...

Judocas paulistas participam de intercâmbio no Japão

Parceria entre Ajinomoto do Brasil e Federação Paulista de Judô levará 18 jovens entre 15 e 17 anos para treinamento na...