Trump faz ataques racistas e xenófobos contra congressistas democratas

Por

Donald Trump usou o Twitter para uma série de comentários sobre quatro congressistas que têm várias coisas em comum — são mulheres, democratas, oriundas de minorias raciais e foram críticas da líder da Câmara dos Representantes, a também democrata Nancy Pelosi. Só que Pelosi não gostou deste “apoio” do Presidente americano, acusando-o de comentários xenófobos que pretendem dividir a nação”.

Nos tweets matinais de domingo, o presidente americano defendeu que as congressistas liberais que têm atacado Pelosi deveriam “regressar e ajudar a corrigir os países totalmente falhados e infestados de crime de onde vieram”.

Segundo a imprensa americana, os comentários de Trump têm quatro alvos que são mulheres negras ou de pele mais morena. Ayanna Pressley (Estado do Massachusets), Rashida Tlaib (Michigan), Alexandria Ocasio Cortez (Nova Iorque) e Ilhan Omar (Minnesota) e surgem no momento de grande discussão sobre instruções da administração dadas à polícia de imigração para juntar as famílias de migrantes que receberam ordem de deportação dos Estados Unidos.

“É interessante ver mulheres congressistas democratas, que originalmente vieram de países cujos governos são uma catástrofe total e completa, os mais corruptos e ineptos do mundo, a dizer agora às pessoas dos Estados Unidos, o maior e mais poderoso país do mundo, como o nosso governo deve ser gerido”.

Logo nas primeiras reações públicas a estes comentários foi realçado que, pelo menos três destas congressistas, nasceram nos Estados Unidos e uma delas, Alexandria Ocasio Cortez, em Nova Iorque, muito perto de onde o próprio Trump terá nascido, tendo origem porto-riquenha.

Apenas Ilhan Omar veio com a família da Somália, para fugir à guerra civil, tendo a nacionalidade americana desde a adolescência.

As quatro mulheres foram eleitas em 2018 para o congresso e têm sido apontadas como protagonistas de um movimento de renovação na política americana, mais aberto a mulheres, jovens e com origem racial diversa, uma delas em particular têm dado bastante nas vistas na política americana.

***

É valido lembrar que o pai de Donald Trump, Frederick, nasceu em Nova Iorque, mas seus avós paternos – Fred e Elizabeth Trump, ambos nasceram na Alemanha.

Ainda, a mãe do atual presidente, Mary Anne (Maclod) Trump, nasceu na Escocia e mudou-se para os Estados Unidos em 1930 e naturalizou-se em 1942.

Diz a lenda (e algumas fontes), que Mary Anne era a faxineira da casa dos Trumps, antes de casar com Frederick. Donald Trump nunca confirmou.

Em resumo, o atual presidente dos Estados Unidos é 50% alemão e 50% britânico (escocês)….

Sem comentários.

Fontes: Expresso/ Observador / Ultima Hora/ Twitter

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
38,423SeguidoresSeguir

INSTAGRAM

O útero artificial que vai salvar vidas

Espera-se que esteja pronto para utilização em clínicas nos próximos cinco anos. Este útero artificial, desenvolvido por uma Universidade holandesa, tem...

ONU e a dívida dos EUA

Os Estados Unidos vão pagar, antes do final do ano, “a maior parte” da sua dívida de 2019 à ONU, organização que...

Judocas paulistas participam de intercâmbio no Japão

Parceria entre Ajinomoto do Brasil e Federação Paulista de Judô levará 18 jovens entre 15 e 17 anos para treinamento na...