AMAZON: DEPOIMENTOS FRAUDOLENTOS

Por

A maior e mais rentável empresa online no mundo conta com depoimentos falsos para turbinar vendas

Há pouco mais de uma década, um amigo indicou uma “tal” de Amazon quando eu buscava uma bateria nova para meu laptop. Aquele site logo virou parte da minha rotina e eu sempre baseava as minhas escolhas nos depoimentos que eu ali encontrava. Era bem prazeroso – eu fazia as compras, e depois de usar deixava a minha opinião. Em menos de um ano, eu tinha escrito mais de mil depoimentos.

A Amazon cresceu no Reino Unido e com o crescimento, chegou o serviço “prime”, que era bem barato na época e aquela anuidade te dava entrega gratuita por um ano todo. A empresa não parou de crescer e criou sua própria rota audiovisual. A anuidade que era cerca de £20, passou a custar £79, mas ainda assim valia a pena já que o volume de minhas compras era sólido.

Não demorou para que meus depoimentos somassem mais de 2000 textos, com muitos votos positivos e top 10 no ranking nacional. Os convites para testes apareciam aos poucos. Nas primeiras semanas, eu recebia um produto por dia sem custo, em troca de uma “opinião sincera”. Em um mês, eu recebia dez produtos por dia.

Ali, eu entendi que aqueles reviews que eu lia para fazer minhas escolhas enquanto eu comprava produtos, na verdade não eram depoimentos sinceros, mas eram depoimentos pagos. Sim, pagos. Alguns vendedores, além dos produtos, também enviavam quantias consideráveis em dinheiro, geralmente via PayPal.

Eu precisei brecar o processo quando me deparei em uma situação delicada – eu já não tinha tempo para me dedicar para minha família ou mesmo focar em meu trabalho, além de não ter mais espaço em casa para acomodar todos aqueles “presentes”. Naquele momento de reflexão, revolvi juntar dados e investigar.

Para quem começa este trabalho, existem milhares de sites que organizam ‘encontros’ entre os que querem os depoimentos e os que querem os produtos. Vipon e AMZ eram os maiores para as relações com o Amazon UK. Também existiam centenas de grupos no WhatsApp e no Facebook, entre outras mídias sociais. Basicamente, você escolhia o produto, colocava na cesta e recebia um código de desconto e depois integrava o seu depoimento com a plataforma e recebia uma estrelinha, um ponto, ou como cada site trabalhava. A Amazon sempre soube do que acontecia, fazia regras, trocava normas e tentava várias táticas para não se comprometer.

Em 2016, um jornal britânico denunciou o esquema e a Amazon UK passou a suspender contas que tinham muitos depoimentos. Eu escapei do primeiro corte. Logo as agencias de noticias começavam a espalhar o que até então era ‘conversa de comadre’.

Pouco depois, com muitas investigações paralelas e consequentemente muita cobrança, a Amazon passou a cobrar os vendedores pelos códigos concedidos e limitar transações de gratuidade. Ainda assim, era bem interessante. Milhares de produtos poderiam ser ‘comprados’ por £0.01 e £0.99.

Era o momento de limpar a casa e doar o que estava ali parado. Contadas, eu tinha encaixotadas 1500 jarras de suplementos diversos, mais de 2000 capas de celular, lustres, itens de cozinha, arvores de natal, ventiladores, itens para jardim e carro, centenas de coisas para bebês e outra centena de itens fitness, só para citar alguns. Doei para orfanatos, caridades, para os amigos, para a família. Fiquei com algumas coisas; mas para ser sincera, me deu mais trabalho me livrar daquela montanha de coisas do que as receber.

Durante os dois anos em que estive por ali, vigiando os passos da Amazon, recebi e escrevi mais de dez mil depoimentos, colecionei páginas de e-mails de vendedores. Eu não era a única a colecionar tal montante de depoimentos e naquele momento eu já tinha caído para o top 20. Tinham empresas especializadas naquele processo, gerando cerca de 1000 depoimentos por dia. Sim, mais de mil! Era um grande circuito de negócio, mas não me arriscaria a dizer que era um bom modelo.

A minha conta não foi 100% suspensa, mas o meu direito de deixar depoimentos sim. E você deve estar aí se perguntando – mas como?

Esta foi uma história interessante. Eu já não aguentava mais receber produtos, desempacotar, fazer vídeo, foto, escrever depoimento, ter lixo de caixas triplicado a cada semana e resolvi abortar toda a operação, até porque eu já tinha material suficiente para uma investigação. Passei a negar as propostas que chegavam e uma vendedora que era minha “regular” não gostou. Ameaçou – disse que se eu não fizesse, iria me reportar para a Amazon. E assim fez. Naquele mesmo dia eu perdia o direito de escrever qualquer depoimento.

Segui conversando com um bom número de pessoas que escreviam e algumas que prestam esse serviço ate hoje. Como os produtos não são mais gratuitos, a maioria dos vendedores oferece uma média de £5.00 por depoimento. O modelo de negócio esta cada vez maior e as manobras são muitas.

Em 2018, entrei em contato com a Amazon UK, como jornalista, em nome do Grupo A Hora. Apresentei todas as provas, listas de vendedores, lista de pessoas que recebem pelos depoimentos – todos com evidencias, e a equipe do Reino Unido se recusou a responder as nossas perguntas e recomendou que entrássemos em contato com a Amazon Brasil, que nada tem com a história, além do que a plataforma brasileira só vende livros.

Depois de muita insistência e um maciço vai e vem de mensagens e muitas recusas, inclusive ignorando as matérias dos jornais britânicos que revelavam todo o esquema, finalmente, recebi uma resposta da equipe da Amazon Brasil, assinado por Mariana Zveibil, negando que qualquer processo ainda exista, mesmo com todas as provas apresentadas (incluindo evidencias e confirmações assinadas de pessoas que ainda fazem o serviço)

Zveibil, Marina <…@amazon.com>

Fri 12/7/2018 19:23

Olá novamente, tudo bom?

Obrigada pelas informações e esclarecimentos. Estou copiando aqui nossos e-mails de contato no Brasil, para que tenha tanto o da Amazon, quanto de nossa agência de comunicação, a SMARTPR.

Segue declaração sobre o tema que pode ser atribuída à Amazon:
“A grande maioria das avaliações na Amazon é autêntica e ajuda milhões de clientes a tomarem decisões de compra com base em informações reais todos os dias. Nosso objetivo é fazer com que as avaliações sejam as mais úteis possíveis para nossos clientes. Utilizamos diversos mecanismos para detectar e apagar as poucas avaliações que violam nossas diretrizes. Nós removemos contas que abusam do sistema e também tomamos medidas legais cabíveis quando necessário. Também é nosso objetivo eliminar qualquer tipo de incentivo ao comportamento de vendedores que se engajam em avaliações feitas de forma abusiva e fechar este ecossistema que gira em torno de avaliações fraudulentas em troca de qualquer tipo de compensação. Como sempre, é importante reforçar para nossos clientes que esta prática representa apenas uma pequena porção das avaliações na Amazon e criamos um sistema de ranking de avaliações para que as mais recentes e com informações úteis para o consumidor apareçam primeiro”. 

Além do que está dito acima, vale reforçar que em 2016 nós proibimos a postagem de avaliações incentivadas. Nossas Diretrizes de Comunidade listam nossas políticas e podem ser encontradas aqui: https://www.amazon.com/gp/help/customer/display.html?nodeId=201929730.

Se tiver outras dúvidas, avise-nos. 

Abs,
Marina Zveibil

Não deixei de ser cliente da Amazon, mas algo ficou muito claro. Depoimentos são tão compráveis quanto as curtidas em qualquer mídia social.

Existem sites medidores que você pode ter uma ideia se um vendedor ou outro conta com depoimentos comprados, mas um conselho estratégico – nunca baseie suas escolhas em depoimentos dos sites de vendas.

SIGA-NOS

9,730SeguidoresSeguir
38,679SeguidoresSeguir

INSTAGRAM

Curiosidades de Miami

Apesar de muitos de nós acreditarmos, há mais em Miami do que apenas boates e praias. Miami é o paraíso sonhado por...

“ARACY” REESTREIA EM BOTAFOGO INVESTIGANDO PROCESSO DE INVISIBILIDADE SOCIAL NA LINHA HEREDITÁRIA FEMININA

Segundo solo de Flavia Milioni reestreia no Teatro Poeirinha apresentando a busca de uma neta pela história de sua avó, esbarrando...

Giuliana Morgen confirma favoritismo e é bicampeã da CiMTB, na categoria sub 17 feminina

Este é o terceiro título da atleta dentro da competição, que veio com a vitória na última etapa, neste domingo.