Bourbon Street Fest Niterói

Por

A grande festa da música de New Orleans em Niterói continua nos dias 7 e 8/9 – sábado e domingo

Brasil, Rio de Janeiro, setembro de 2019 – Em virtude do sucesso absoluto de público, a primeira edição do Bourbon Street Fest Niterói (realizado nos últimos dias 30 e 31 de agosto e 1º de setembro), ganha fim de semana extra com novos shows na Praça Rádio Amador – neste fim de semana, sábado e domingo, dias 7 e 8 de setembro. Grandes atrações musicais, artistas que sobem ao palco montado à beira mar, em São Francisco, para tocar composições próprias, clássicos de jazz, blues, bem como homenagear ídolos, como Celso Blues Boy e os Rolling Stones. E o melhor de tudo: com entrada franca, food trucks e cervejas artesanais. Mais uma vez, imperdível!

No sábado, a programação começa às 17h30 com apresentação da cantora de blues Nanda Moura. Em seguida, é a vez do guitarrista Sérgio Rocha fazer seu tributo ao gênio brasileiro da guitarra Celso Blues Boy. Fecha a noite o guitarrista Big Joe Manfra com participação especial do instrumentista Jefferson Gonçalves.

No domingo, os shows começam mais cedo, às 16h30, com o multi-instrumentista Caê Vimer. Na sequência as bandas, SoulShine Jam Band e Blues Etílicos, artistas que retornam ao palco do Bourbon Street Fest em virtude de suas apresentações terem sido prejudicadas pelo forte temporal que atingiu a cidade de Niterói na noite de domingo (1/9). O encerramento da noite fica a cargo da banda tributo Rollando Stones, que levará ao palco seu show em homenagem à banda de Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Whatts e Ron Wood.

“O primeiro fim de semana do festival foi um sucesso tão grande que superou as nossas expectativas mais otimistas. A participação da população, com pessoas de todas as idades e famílias inteiras, além da tranquilidade por todo o fim de semana do evento, nos motivou a dar uma sequência ao Bourbon Street Fest Niterói. No futuro, queremos tornar esse evento parte do calendário oficial da cidade”, destaca André Felipe Gagliano Alves, Coordenador de Eventos da Prefeitura de Niterói.

Com 25 anos de história, o Bourbon Street Music Club traz para Niterói a primeira edição do Bourbon Street Fest Niterói, foi realizada nos dias 30 e 31 de agosto (6af e sábado) e 1 de setembro (domingo), na Praça do Rádio Amador, em São Francisco. O evento, que tem apoio da New Orleans & Company (https://www.neworleans.com/) e entrada franca, agitou a cidade com shows nacionais e internacionais, como os artistas de New Orleans, berço do jazz mundial, a banda Bonerama Plays Zeppelin e o acordeonista Dwayne Dopsie & The Zydeco Hellraisers.

“É um grande prazer trazer a Niterói a vibração, a qualidade  e a diversidade da música de New Orleans…! Estamos muito felizes com esta primeira parceria com a Prefeitura.”, afirma Edgard Radesca, idealizador do Festival, que acontece simultâneo com a 16a edição na cidade de São Paulo (www.bourbonstreetfest.com.br). “São músicos extraordinários que têm sua formação na cidade que é o berço do Jazz, do Blues e da música negra americana…!”, completa.

A entrada é franca e haverá ainda praça de alimentação com food trucks e venda de cervejas artesanais. O Bourbon Street Festival Niterói acontece nos dias 7 e 8 de setembro. No sábado a programação se inicia às 17h30 e no sábado e domingo os shows começam às 16h30.

*PROGRAMAÇÃO *

Palco: Praça do Rádio Amador, São Francisco

07/09 Sábado

17h30 – Nanda Moura

19h30 – Sérgio Rocha – Tributo a Celso Blues Boy

21h30 – Big Joe Manfra feat Jefferson Gonçalves

08/09 Domingo

16h30 – Caê Vimer

17h30 – Soulshine Jam Band

19h30 – Blues Etílicos

21h30 – Rollando Stones

Saiba mais sobre as atrações

BIG JOE MANFRA FEAT JEFFERSON GONÇALVES

Big Joe Manfra

São quase 23 anos de estrada! Dois CDs solo (“Big Joe Manfra” e “Big Joe Manfra 2”) e o CD “Blues Etc.” (com o gaitista Jefferson Gonçalves), consolidando-se como um dos principais artistas do blues no país. Para comemorar uma década de carreira, o guitarrista e cantor Big Joe Manfra gravou o DVD “Big Band Ao Vivo”, registro do encontro de grandes artistas do blues, além de ser o primeiro DVD de um intérprete brasileiro de estilo.

Seu inconfundível sotaque bluesy levou o gaitista americano Peter “Madcat” Ruth a recrutá-lo durante os últimos 15 anos para sua tour, que resultou no CD “Live in Rio” de 2006. Em 2012 e 14, realizaram bem sucedidas tours pelos EUA, passando por Chicago, Detroit e outras cidades, com shows em vários clubes e festivais. A temporada de Big Joe

nos EUA culminou com o show no mais tradicional dos bares de San Francisco, o Biscuit and Blues, acompanhado pela banda de Keith Crossan, um dos melhores saxofonistas de blues dos EUA.

Ao longo de sua carreira Big Joe Manfra procurou uma sonoridade que tivesse sua marca pessoal. A frente dos vocais a partir do segundo CD, buscou não se restringir ao blues tradicional, aliando a energia de seu lado rock e a influência do jazz em seus arranjos ao estilo nascido no Mississipi, somando com batidas funk.

Já se apresentou no exterior pela América do Sul, EUA e Europa, dividindo o palco com nomes internacionais como John Mayall & The Bluesbreakers, Magic Slim, Stanley Jordan, Grant Green Jr., Tommy Castro, Roy Rogers, Coco Montoya, Michael Hill, Michael Landau, Air Supply, T.M. Stevens, Norton Buffalo, Deanna Bogart, Peter Madcat e Jamie Wood, entre outros. Integrou a All Star Blues Band na Rock Street no Rock In Rio (2011). Ao lado de Jefferson Gonçalves fundou o selo Blues Time Records; e o trio acústico Blues Etc., cujo CD foi finalista na categoria ‘Língua Estrangeira’ do ‘Prêmio Caras de Música 2002’, voltando às atividades nesse ano.

Além da carreira solo, faz parte do trio acústico Blues Etc. Também está terminando seu próximo CD e um DVD que documentará sua trajetória com o gaitista Peter Madcat. Atualmente é endorser dos Cabos Tecniforte.

Vídeos:

– https://www.youtube.com/watch?v=hf2VtUC-UvM

– https://www.youtube.com/watch?v=Ly8PoUwteHY

***

Jefferson Gonçalves

Jefferson Gonçalves é uma das principais referências dentro do cenário da gaita no Brasil e no mundo. Seu trabalho já foi elogiado por vários músicos, revistas e sites internacionais. Com seu estilo inconfundível e original consolida de vez sua competência e criatividade fazendo misturas autênticas, onde estilos diferentes se unem para criar uma atmosfera tipicamente brasileira, sua gaita faz um mix entre a música negra norte americana e o regionalismo dos ritmos nordestinos como o forró, o baião, o xaxado, o maracatu, entre outros.

O Músico optou em fazer uma sonoridade própria e mostra isso em seus discos e em turnês pelo Brasil e por vários países, promovendo fusões, diálogos e intercessões entre gêneros que aparentemente são distintos mas que têm similaridades inescapáveis a ouvintes atentos.

Com isso, o carioca Jefferson Gonçalves se destaca como um dos mais versáteis nomes da gaita, tocou para públicos diversos, apresentando-se em algumas das melhores casas de Blues do mundo, como: Teatro San Martin (Buenos Aires), Blue Note (Nova York), Deep Ellum Blues (Texas) e Bamboo Room (Flórida), em seu currículo também constam apresentações na Espanha (Madrid e Toledo), Alemanha (Frankfurt),Chile (Santiago e Valparaíso) e África (Senegal).

Com toda esta experiência adquirida em centenas de shows, gravações e workshops, Jefferson Gonçalves tem sido uma referência em harmônica no Brasil e no mundo, por isso, em 2017 foi convidado pela empresa alemã Seydel Harmonicas, para ser o primeiro endorse brasileiro a fazer parte do time Seydel Harmônicas.

Jefferson Gonçalves tem um estilo único de tocar harmônica e mostra isso em seus discos e shows com muita competência, Enfim, um músico completo que encanta platéias por onde passa.

Vídeos:

– https://www.youtube.com/watch?v=eeJN2QJg_JA

– https://www.youtube.com/watch?v=d0-IJVCPBc8

– https://www.youtube.com/watch?v=8ln6TloauDo

– https://www.youtube.com/watch?v=cRG3n3nbsVw

BLUES ETÍLICOS

Blues Etílicos foi criado no Rio de Janeiro em 1985 pelo gaitista Flávio Guimarães, o baixista Cláudio Bedran e o guitarrista Otávio Rocha e, alguns meses depois de sua estreia, incorporou o cantor e guitarrista Greg Wilson e o baterista Gil Eduardo.  Em 1987, lançou seu primeiro LP, o independente Blues Etílicos. Em 89, são contratados pela Gravadora Eldorado, lançando Água Mineral em 89, San Ho Zay em 1990 e IV em 91. San Ho Zay atinge a marca de 35.000 cópias vendidas , sendo o álbum mais vendido de uma banda de blues brasileira em todos os tempos.  

Em 1989, a banda teve ampla projeção através do primeiro Festival Internacional de Blues, na cidade de Ribeirão Preto, abrindo o festival na mesma noite que Buddy Guy. O festival foi um divisor de águas para o gênero no Brasil e várias bandas nacionais surgiram, influenciadas pelo som do Blues Etílicos. Durante esse período , a Blues Etílicos teve vários programas especiais na TV Cultura, Rede Manchete e MTV, além de ter suas músicas amplamente executadas nas FMs por todo país.

O Blues Etílicos foi a primeira e a principal banda nacional a criar um público fiel nesse segmento e graças a isso, participou de todos os festivais ligados a esse gênero musical, dividindo o palco com os principais nomes do blues internacional a visitar o país: B. B. King, Robert Cray e Buddy Guy entre outros.

Entre 1995 e 1996, a banda realizou cerca de 20 apresentações com o cantor Ed Motta, batendo sucessivos recordes de público no Circo Voador, no Rio de Janeiro, além de teatros e casas noturnas por todo país. Em Florianópolis, se apresentaram juntos para uma plateia de 30.000 pessoas no aniversário da cidade.

Em 1996 o baterista Pedro Strasser entra na banda e são lançados os álbuns Dente de Ouro em 1996, Águas Barrentas – Ao Vivo em 2001, Cor do Universo em 2003, Viva Muddy Waters em 2007, o DVD Ao Vivo no Bolshoi Pub em 2011, o CD Puro Malte em 2013 e o CD Blues Etílicos 30 Anos Ao Vivo em 2015. Em 2017, a banda acompanha o violeiro Noel Andrade no álbum Canoeiros, lançado digitalmente.

A partir de dezembro de 2017, Beto Werther assume as baquetas do grupo.

Site: www.bluesetilicos.com.br

Vídeos: https://www.bluesetilicos.com.br/vdeos

CAÊ VIMER

O artista iniciou sua vida musical logo aos 7 anos de idade, na década de 90, como baterista de igreja. Aos 12 anos tomou gosto pelo violão passando assim a ensaiar os seus primeiros acordes. O namoro com a música que vinha desde a sua infância consolidou-se até que finalmente em 2015 iniciou sua carreira profissional em Niterói – RJ.

Em 2017 o artista deu largada a uma série de apresentações em carreira solo seguindo o estilo “One Man Band”, cantando e tocando simultaneamente violão, gaita, cajon “bumbo”e pandeirola.

O sucesso deste projeto logo o levou às rádios cariocas como a Super RádioTupi e posteriormente ao “Palco Playing For Change Show” na Rádio Roquette Pinto onde apresentou parte do seu trabalho autoral e releituras de grandes sucessos nacionais e internacionais.

Influenciando por diferentes gêneros ao longo da vida, como: Rock, Blues, MPB, Reggae, Pop, Soul, Black e tantos outros, o artista caminha livremente entre os estilos imprimindo com autenticidade a sua marca.

Dono de uma voz rasgada e potente, deixa que as emoções conduzam suas apresentações em meio a declamações de poemas, improvisos e interpretações originais de grandes sucessos e trabalhos autorais.

Vídeos: https://www.youtube.com/channel/UC4aGL8HH4miN_wbna3sk6HQ

NANDA MOURA

O recente ressurgimento do Blues no cenário musical brasileiro, principalmente a partir de 2017, deu espaço a novos talentos, aficcionados estudiosos do estilo, que até então estavam restritos a um circuito pouco conhecido. Estes novos talentos reoxigenaram a cena, e estão produzindo um Blues de primeiríssima qualidade.

Nanda Moura é a nova voz feminina do Blues brasileiro. NANDA MOURA é uma das grandes revelações do Blues nacional. Oriunda de uma família  de músicos, começou a carreira profissional muito cedo (aos 9 anos de idade). É uma estudiosa do Blues tradicional, tendo como referência as grandes Divas dos anos 20 e 30, Bessie Smith, Memphis Minnie e Ma Rainey. Já se apresentou com alguns dos maiores nomes do Blues nacional, como Greg Wilson, Mauricio Sahady e Sergio Rocha. Sua impecável técnica vocal e sua instigante presença de palco fazem de suas apresentações verdadeiros espetáculos.

O show NANDA MOURA BLUES é uma viagem pela história do Blues, desde os campos de algodão no Mississippi até a Chicago dos anos 40, quando o Blues é eletrificado. O repertório é organizado cronologicamente, começando por um canto à capela (onde 1impressiona a capacidade vocal de NANDA) fazendo menção aos cantos dos escravos nas plantações do Mississippi, lá nas raízes do Blues; passeando pelo Vaudeville Blues e Dirty Blues, com canções das grandes Divas dos anos 20 e 30; e terminando em versões modernas de clássicos do Chicago Blues dos anos 40, com músicas dançantes e animadas.

Vídeos: https://www.youtube.com/channel/UCFCebZt-di0mvgE8wGi186g

ROLLANDO STONES

Considerado pela crítica carioca, o melhor tributo feito à banda inglesa, Rolling Stones. Rollando Stones é uma super banda formada por músicos consagrados do rock nacional, Felipe Cambraia baixista e produtor da banda “Os Infernais” do cantor Nando Reis, o guitarrista do Barão Vermelho, Fernando Magalhães, o baterista e produtor de Lobão e Kid Abelha, Kadu Menezes “O Lenhador”, o cantor Emerson Ribber ,famoso pela sua interpretação inigualável no projeto “Canta Rauuulll” junto com o famoso “fiel escudeiro” Rick Ferreira, o guitarrista Ronaldo Oest e eventualmente nosso querido guitarrista , Guilherme Schwab (ex- Suricato) também faz parte desse tributo. E é com muito prazer que comunicamos a confirmação da nossa participação no maior evento de música do planeta o Rock In Rio 2019. O show é uma verdadeira festa, onde ninguém fica parado! Já fizeram participações especiais, artistas como George Israel (Kid Abelha), Paulo Ricardo (RPM), Rick Ferreira o guitarrista inseparável de Raul Seixas, Serginho Serra (Ultraje a Rigor), a sensacional cantora Danni Carlos e o cantor Leo Jaime, Arnaldo Brandão entre muitos outros nomes da música brasileira. Nesse show as pedras rolam, e muito!! Vale muito a pena conferir!

SÉRGIO ROCHA – TRIBUTO A CELSO BLUES BOY

Sérgio Rocha  começou sua trajetória como músico profissional ao integrar, em 1990, a banda chamada Emoções Baratas. Esta banda, cujo repertório continha Blues Rock cover e autoral, veio a se tornar depois uma das maiores bandas de Blues do Brasil na década de 90: Big Allanbik. Em 1992 Sérgio foi convidado a fazer um teste numa banda que estava surgindo no cenário de Blues: o Baseado em Blues. Esta se tornou também uma das mais destacadas na cena de Blues nacional na década de noventa tendo gravado três CDs (“Baseado em Blues” – 1995; “Madrugada Blues” – 1998 e “Um acústico Baseado em Blues” – 2000) e as participações nos CDs do projeto “Sexta Sim”, “Natu Blues Festival 2003“e do CD “Nuvens negras choram” de Celso Blues Boy. Em paralelo ao trabalho do Baseado em Blues, em 2003, fundou o Blues Power Trio, com Fabio Mesquita (baixista desta mesma banda) e Beto Werther (baterista do extinto Big Allanbik e atual do Blues Etílcos). Com este trabalho lançou dois Cd’s: “Blues Power Trio” – 2003 e “Até o fim da estrada” – 2005.

Em carreira solo lançou “Parece que o tempo não passou” em 2009. Neste álbum Sérgio mostra, em oito composições, que o Blues brasileiro tem linguagem própria. Por ocasião deste lançamento fez a canja do “Programa do Jô” da rede Globo de televisão, tendo uma ótima repercussão. Em 2014 lançou seu último CD intitulado “Naquele bar” onde mostra a essência da fusão entre Blues, Funk e Rock resultando num gênero dançante com um “swing” bem carioca.

Sérgio também fez (faz) parte de vários outros trabalhos como: Bull e Bill (dupla de Country Rock), Banda Mello’s Mel, Allyrio Mello (cantor e violinista), Rhana Abreu (cantora de MPB) e Luiza Casé (cantora de Blues e Rock).  Atualmente é diretor musical e guitarrista dos projetos “Tributo a Cassia Eller”  e “Tributo a Rita Lee” com a cantora Mariana King; Cat Bone Blues Band; Tributo a Jimi Hendrix (Stone Free Band); Tributo a Dire Straits (Heavy Fuel Band) e Sell Out Band (“Uma viagem no túnel do Rock“).

Atualmente, em seus shows solo, faz três tipos de apresentações: “Uma homenagem a Celso Blues Boy“, onde revive as músicas do maior Bluesman do Brasil de todos os tempos, com uma interpretação fiel e digna, nesta homenagem singular; “Tributo aos heróis da guitarra Blues” em um show onde o grande destaque é o instrumento elétrico de seis cordas, e inclui canções de Stevie Ray Vaughan, B.B. King, Eric ClaptonFreddie KingRoy BuchananJimi HendrixBuddy GuyMagic SamCelso Blues Boy, em um repertório recheado de clássicos destes grandes nomes da guitarra que ajudaram a disseminar o Blues pelo mundo. E, por último, o show “Autoral Blues“, no qual contém apenas canções próprias de Sérgio ao longo de seus 28 anos de carreira. Nestes três tipos de shows é acompanhado por Ramiro Gabriel Habib (baixo e backing) e Silvio Leal (bateria).

Além de músico profissional Sérgio também é professor concursado de educação musical na Prefeitura do Município do Rio de Janeiro (desde 2011) e tem um curso on line de Guitarra Blues completo, com mais de cem aulas no site www.guitarpedia.com.br, sendo este estabelecido na cidade de São Paulo.

As influências de Sérgio Rocha estão expostas no seu estilo ímpar de tocar que o faz hoje um dos mais expressivos guitarristas do Brasil. Foi matéria da revista Guitar Player Brasil em cinco edições: novembro de 1997abril de 2003 (festival de Guaramiranga – CE)Abril de 2004Setembro de 2006Dezembro de 2014.

Vídeos:

– https://www.youtube.com/watch?v=9ZlgNtgNDXQ

– https://www.youtube.com/watch?v=pGxvuOn5YrI

– https://www.youtube.com/watch?v=F_oqv5A6ous

SOULSHINE JAM BAND

The Soulshine Jam Band foi fundada em 2009 por André Santanna, John Gregory Wilson e Ricardo Romão com o objetivo de criar uma autêntica “Jam session Band”, porém “acústica”, algo novo, que chegasse de forma requintada ao público. A banda tem em seus fundamentos tocar livremente, se expressar de forma diferente a cada show em solos, improvisos, composições próprias e arranjos homenageando grandes músicos deste segmento. Bandas como Allman Brothers Band, Greatfull Dead, Doobie Brothers, The Band, Santana, The Doors, entre várias outras fazem parte da identidade da banda e repertório.

The Soulshine Jam Band cria versões diferentes das originais, em outro tom, outro andamento, outra divisão de tempo, tudo com muito respeito, bom gosto, criatividade, personalidade e originalidade. A banda é uma mistura de culturas: “Sir Greg Wilson”, americano, “Blues Etílicos Man”, nascido no sul dos Estados Unidos e os demais integrantes da banda com origem portuguesa e brasileira. O som original da Soulshine Jam Band emociona o público com sua maneira brasileira de sentir o blues americano.

The Soulshine Jam Band é composta por amigos de longa data, uma família, um culto a verdadeira amizade e a sinceridade musical e pessoal. Um show autêntico com músicos que gostam do que fazem, onde tudo sempre é motivo de alegria e brinde. O nome da banda é inspirado na música de Warren Haynes “SOULSHINE”, um estado de espírito, uma força interior verdadeira capaz de ser “…mais forte que o brilho do sol, a luz da lua e a chuva! ”

Vídeos: https://www.youtube.com/user/itacoatiara

SERVIÇO BOURBON STREET FEST NITERÓI:

Dias: 07 e 08/09 – Sábado e Domingo

ENTRADA FRANCA

Local: Praça do Rádio Amador, São Francisco, Niterói (RJ)

Primeiro show da noite: 17h30 (sábado) e 16h30 (domingo)

Realização: Prefeitura de Niterói

Idealização e curadoria: Bourbon Street Music Music Club

Homepagehttp://www.bourbonstreet.com.br/

FB Bourbon Street Fest Niteróihttps://www.facebook.com/events/1942328819201767/

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
38,422SeguidoresSeguir

INSTAGRAM

O útero artificial que vai salvar vidas

Espera-se que esteja pronto para utilização em clínicas nos próximos cinco anos. Este útero artificial, desenvolvido por uma Universidade holandesa, tem...

ONU e a dívida dos EUA

Os Estados Unidos vão pagar, antes do final do ano, “a maior parte” da sua dívida de 2019 à ONU, organização que...

Judocas paulistas participam de intercâmbio no Japão

Parceria entre Ajinomoto do Brasil e Federação Paulista de Judô levará 18 jovens entre 15 e 17 anos para treinamento na...