Monday, September 20, 2021

Sete mil mulheres protestam contra discriminação em Madrid

Por

Cerca de sete mil mulheres formaram hoje, em Madrid, uma cadeia humana, com sete quilómetros de extensão, para denunciar a discriminação e a violência contra as mulheres.

Tratou-se de uma ação de protesto que visou dar continuidade a uma anterior manifestação, ocorrida o ano passado e que terminou com a leitura de um manifesto nas Portas do Sol, na capital espanhola. A maioria das manifestantes apareceu vestida com roupas e adereços de cor roxa, dando as mãos numa longa cadeia humana.

A longa fila, com cerca de sete quilómetros, percorreu as ruas do centro de Madrid, como Alcalá, o Paseo del Prado, a Ronda de Atocha e Toledo, as ruas Bailén e Opera.

A manifestação alude a diferentes temas de luta, como antirracismo, autodefesa feminina, insegurança e assistência no trabalho, corpo, diferença sexual e de género, aposentação decente, educação feminina e direito à habitação.

Com cartazes e ‘slogans’ nas camisolas, onde lia, por exemplo, “Este sistema mata”, “A terra não é sua, os nossos corpos também não” ou “Nós somos as netas das bruxas que tu não podes queimar”, as manifestantes denunciaram ainda situações de discriminação no trabalho e no acesso à educação, numa sociedade ainda dominada pela “doutrina patriarcal”.

Perante a adesão ao protesto, os porta-vozes da organização congratularam-se com o facto de esta iniciativa “combativa e dissidente” ter feito “parar” a capital espanhola e demonstrado a força e a capacidade de organização das mulheres.

Um “mês de revolta”, em direção ao Dia da Mulher – 8 de março – “combativo e dissidente” foi um dos lemas difundidos pela organização do protesto.

Fonte: Lusa

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
34,933SeguidoresSeguir
Paula Tooths
Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de oito títulos publicados no Reino Unido. | Londres - Miami