Lembrança de infância compartilhada na literatura

Por

Francisco Carlos Duarte lança o livro “Canto quase coro sambaquiano”, uma narrativa simples, criativa e poética de momentos de quando era menino em Araquari

Memória da infância vivida numa pequena cidade catarinense deu origem à ficção “Canto quase coro sambaquiano”, livro de estreia de Francisco Carlos Duarte na literatura. Advogado, professor de Direito e procurador do Estado do Paraná (inativo), o autor tem seu nome gravado em 25 títulos jurídicos. 

Francisco Carlos Duarte
(Divulgação)

Publicada pela Kotter Editorial, a obra, já lançada em Portugal, traz texto e imagens que têm como cenário um vilarejo no qual a vida transcorria normalmente até um dia quando é achada a ossada de um sambaqui. 

A partir da descoberta, a narrativa se desenrola. Com linguagem simples, criativa e poética, o autor resgata momentos da infância em Araquari (SC), sua terra natal.  A rotina das crianças do vilarejo Bom-Belo Rio-Mar, que se divertiam no rio, é quebrada quando o “tesouro arqueológico” é descoberto. 

Com referências à cultura sambaquiana, desfilam pelas páginas cenas e personagens descritos pelo olhar infantil e ricos em detalhes. Situações inusitadas, travessuras, artimanhas e brincadeiras se misturam à natureza retratada com suas particularidades e também sob os pontos de vista histórico e arqueológico. 

Impressões 

Sueli Hreisemnou de Oliveira, diretora presidente da Fundação Municipal de Cultura de Araquari, depõe que o livro “trata-se de uma prosa poética com um toque de refinamento ou poesia em forma de prosa, ou ainda melhor, palavras cantadas. São lembranças como um gosto de fantasia, repletas de detalhes inspirados na memória e na história”. 

Jaime Sant’Anna, professor doutor da Universidade Estadual de Londrina, descreveu “para além do encantamento gerado pelo resgate da infância, o texto é rico na construção de imagens, mas frases/versos com vasto efeito sonoro”. 

Sueli do Rocio Silva, psicanalista lacaniana e poeta, afirma que “a desta obra é a homenagem que Francisco gostaria de prestar às origens, à mãe e à cidade. O gesto bom-belo materializou-se neste presente para todos”. 

Ficha Técnica

“Canto quase coro sambaquiano”, de Francisco C. Duarte, Kotter Editorial, 69 páginas, preço sugerido R$ 34,00 

O autor – Nascido em Araquari (SC) e radicado desde 1973, em Curitiba (PR), Francisco Duarte é Ph.D in Law e professor titular de Direito dos cursos de graduação, mestrado e doutorado aposentado da PUCPR e procurador do Estado do Paraná inativo. Publicou mais de 25 livros jurídicos.

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
36,382SeguidoresSeguir
Redação
Redação
Desde 1998, com foco numa maior oferta de conteúdo relevante e de interesse público, o Grupo A Hora é uma agência de noticias, ciente das preocupações da comunidade.

Justiça do Trabalho proíbe prefeitura de Cuiabá de assédio moral a profissionais da saúde

Após uma denúncia  do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed -MT) de prática de assédio moral e perseguições com transferências de médicos  e...

Rally RN1500: “Foi um belo desafio”, diz Cristiano Rocha

Prova com roteiro entre a Paraíba e o Rio Grande do Norte contou pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country Brasil, Mossoró (RN),...

Eppendorf lança e-shop para atender demanda crescente durante a pandemia

Devido à pandemia, o mercado de vendas pela internet teve um aumento significativo nos últimos seis meses. Um levantamento da empresa de inteligência de...