Observe. Esse momento triste não terá sido em vão.

Por

Que estrada, que jornada. Para onde isso vai levar e para onde isso vai finalizar, ninguém sabe ao certo. Na maioria das vezes, cada um de nós acorda e toma todos os dias como esses chegam e lida com os pequenos problemas que encontramos à medida que acontecem, mas ninguém poderia estar preparado para o desmoronamento global que é o Covid-19. 

Todos os aspectos de nossas vidas mudaram, não há uma coisa que permaneça a mesma. Nada jamais nos retornará à vida que conhecíamos antes disso, mesmo quando o vírus estiver sob controle. Toda vez que saírmos, e alguém espirrar ou tossir, esse pequeno alarme de pânico vai disparar em nossa cabeça. 

O mundo em que vivíamos era dado como nosso por direito em muitos níveis, com certeza, para alguns, ser uma pessoa social nunca foi um problema, então ficar em casa não é muito difícil, mas o desligamento de sua rotina diária será. Os fãs de esportes que assistem jogos na televisão ou ouvem rádio descobrirão que este é um momento muito difícil; os programas favoritos de algumas pessoas foram retirados ou reduzidos em massa. Os programas de rádio que as pessoas estão sintonizadas agora estão cheios de histórias sobre o Coronavírus. 

Aqueles que sofrem com problemas de saúde mental serão particularmente afetados por esse momento; aqueles que trabalham por conta própria estarão em pânico profundo. Com a economia global em colapso e centenas e milhares, ou milhões talvez… a vida das pessoas agora mudando nos negócios diários… estamos realmente em águas desconhecidas. 

Talvez durante esse momento de transição, possamos procurar os pontos positivos, aquelas pessoas que trabalham longas horas em supermercados locais que são menosprezados, aquelas que coletam o lixo a cada semana, os limpadores de ruas, os limpadores de hospital mal pagos e com excesso de trabalho das enfermeiras. A lista é interminável, mas talvez agora, neste momento, essas pessoas que foram ridicularizadas também por toda a vida serão respeitadas pelo trabalho que fazem nas comunidades locais. 

Talvez quando a poeira baixar e a fumaça se dissipar nessa pandemia terrível, talvez, apenas talvez, nós, como seres humanos, comecemos a amar e respeitar cada um de nós, independentemente dos trabalhos que fazemos ou das roupas que vestimos. Talvez em um mundo novo sejamos mais atenciosos como com a poluição que causamos ao nosso planeta por exemplo. Talvez, apenas talvez, possamos apenas olhar para as empresas multinacionais gigantes que não ajudaram e exigiram incentivos governamentais ao mesmo tempo em que se pagam grandes bônus a si mesmos e cortam os salários dos empregados. 

Qualquer que seja o mundo em que entrarmos depois que isso se acalmar, será aquele com o qual precisaremos conviver e mudar nossos hábitos, se quisermos evitar que essas coisas aconteçam novamente. Há muito tempo que nós, humanos, precisamos de um chute suave no traseiro e como é triste que uma coisa tão terrível tenha acontecido nos forçando a tomar nota de nós mesmos. 

Vamos criar um futuro melhor, não menos importante para nós e para as gerações futuras, mas para aqueles que tristemente perderam a vida por esse vírus cruel e, se formos corajosos e nos ajudarmos, talvez, apenas talvez, esse triste momento não terá sido em vão. 


via PaulaTooths.com

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
36,262SeguidoresSeguir
Paula Tooths
Paula Tooths
Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de oito títulos publicados no Reino Unido. | Londres - Miami

Zeptosegundo, a menor unidade de tempo

Se você acha que um segundo passa rápido demais, imagine quão rápido a bilionésima parte de um bilionésimo de segundo pode passar... isto é,...

O mistério da abundância de ouro no Universo

O estoque subterrâneo de reservas de ouro no planeta é estimado atualmente em cerca de 50 mil toneladas, de acordo com o Serviço Geológico...

80 anos de “O grande ditador”

Há 80 anos, em 15 de outubro de 1940, o filme O grande ditador, de Charlie Chaplin, estreou em Nova York. Quando foi exibida em Londres,...