Encontrado esqueleto de mais de 4 mil anos

Por

Arqueólogos descobriram um esqueleto de cerca de 4,5 mil anos numa escavação em Uckermark no leste da Alemanha. Os restos mortais seriam de uma mulher.

Pesquisadores acreditam que ela teria sido enterrada entre 2.200 e 2.500 antes de Cristo, segundo afirmou nesta quarta-feira (20/05) Christoph Krauskopf do Departamento de Preservação de Monumentos do Estado de Brandemburgo, acrescentando que a maneira incomum de como a mulher estava enterrada dá a descoberta um “alto significado científico”.

Os arqueólogos Philipp Roskoschinski e Christoph Rzegotta, que fizeram a descoberta, contaram que o esqueleto foi encontrado em posição de cócoras numa cova perto de um assentamento e não num cemitério. Os pesquisadores acreditam que a mulher foi posicionada desta maneira no túmulo.

“Nunca fiz uma descoberta como esta antes”, disse Roskoschinski ao jornal berlinense Tagesspiegel.

A posição de cócoras é uma das mais antigas formas de enterrar os mortos conhecida. “No período Paleolítico e também no Mesolítico foram identificados esse tipo de funeral”, afirmou Roskoschinski.

A causa da morte ainda não foi identificada. Pesquisadores estão realizando testes para descobrir a idade da mulher e os possíveis motivos do óbito. “Infelizmente, não havia outros objetos na cova que pudessem nos contar mais sobre a vida da mulher”, acrescentou Roskoschinski.

O esqueleto foi encontrado durante escavações para a instalação de uma turbina eólica.

Fonte: DW

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
36,840SeguidoresSeguir
Paula Tooths
Paula Tooths
Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de sete títulos publicados no Reino Unido. | Londres - Miami

MEC estuda restabelecer cotas na pós-graduação

O Ministério da Educação (MEC) tornou sem efeito uma portaria, assinada pelo ex-ministro Abraham Weintraub, que acabava com cotas para negros, indígenas e pessoas com...

A Alemanha colonialista

"Nosso futuro está na água" Sob o chanceler Otto von Bismarck, o Império Alemão estabeleceu colônias nos atuais territórios da Namíbia, Camarões, Togo, partes da...

Coronavírus: Indígenas no Amazonas isolados para fugir da contaminação

A iminente chegada do coronavírus fez com que cerca de 150 indígenas procurassem refúgio no seio da Floresta Amazónica para evitar o contágio entre...