EUA: vistos revogados e estudantes expulsos do país

Por

Com o anúncio de que os estudantes estrangeiros não poderão ficar nos Estados Unidos caso façam apenas aulas on-line, brasileiros terão que rever seus planos para voltar às instituições de ensino norte-americanas. É o caso da aluna do segundo ano da Universidade de Yale, Maria Antonia Sendas, de 20 anos, que já foi informada de que o seu curso no próximo semestre será feito remotamente.

“A universidade decidiu que quem é do segundo ano vai fazer as aulas on-line, e os demais períodos, presenciais. A minha ideia, mesmo assim, era voltar para o campus para poder usar os recursos da universidade, como laboratórios e bibliotecas”, conta a jovem, que está no Brasil por causa da pandemia.

De acordo com o comunicado divulgado na segunda-feira, dia 06, pelo Departamento de Imigração e Alfândega (ICE, sigla em inglês), alunos matriculados em programas acadêmicos ou profissionalizantes que oferecerem apenas aulas pela internet não poderão ficar no país, sob pena de serem expulsos.

Caso estejam fora do território norte-americano, também não poderão entrar nos Estados Unidos para retornar ao campus. Segundo o presidente da Associação de Estudantes Brasileiros no Exterior (BRASA), Rafael Monteforte, isso faz com que outros estudantes, que terão aula presencial, tenham dúvidas se irão conseguir voltar aos EUA.

“Algumas universidades e os próprios alunos já estavam se organizando para conseguir contornar a proibição de viagens do Brasil para o Estados Unidos [imposta por Trump em maio] e fazer o período de quarentena em outro país. Mas, agora, isso ficou ainda mais complicado. Mesmo a pessoa provando que terá aulas presenciais na universidade, o sistema de imigração americano, que já é bastante rígido, tem o direito de barrar sua entrada”, explica Monteforte, que cursa o 4º ano de Ciências Políticas e Economia no Grinnell College e planeja ir para o México para poder entrar no território americano depois.

Ele explica ainda que o anúncio do ICE também vai afetar aqueles que iriam começar o próximo ano letivo nos Estados Unidos, em setembro. A nova determinação afirma que, no momento, o Departamento de Estado americano não vai emitir vistos de estudante cujas aulas seriam 100% on-line.

“Isso fará com que as pessoas adiem a ida para os EUA para o próximo ano”, explica Monteforte.

De acordo com o Escritório de Assuntos Educacionais e Culturais do Departamento de Estado americano, o Brasil é o nono país que mais envia estudantes aos Estados Unidos, com um total de 16.059 brasileiros matriculados no ano letivo de 2018-2019. No total havia mais de 1,095 milhão de estrangeiros estudando nos EUA naquele período.

Não serão diretamente afetados pela nova determinação os alunos que vão estudar no sistema híbrido, isto é, com aulas no campus e pela internet. No entanto, o presidente da Brasa alerta que, mesmo os estudantes que optarem por esse último esquema, podem ter que voltar ao Brasil caso não cumpram as três horas de créditos presenciais mínimas previstas no comunicado — o que faria com que eles perdessem o status no Sistema de Informações de Visitantes e Estudantes de Intercâmbio (Sevis, sigla em inglês), pondo em risco o visto estudantil e a oportunidade de trabalhar no país.

Fonte:BT

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
36,378SeguidoresSeguir
Paula Tooths
Paula Tooths
Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de sete títulos publicados no Reino Unido. | Londres - Miami

SOLIDARIEDADE EM TEMPOS DE PANDEMIA UNE COMUNIDADE LATINA DO EXTERIOR

A pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) trouxe à tona diversas reações em todo o mundo. Algumas comunidades latinas, por exemplo, contaram com personalidades que...

Justiça do Trabalho proíbe prefeitura de Cuiabá de assédio moral a profissionais da saúde

Após uma denúncia  do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed -MT) de prática de assédio moral e perseguições com transferências de médicos  e...

Rally RN1500: “Foi um belo desafio”, diz Cristiano Rocha

Prova com roteiro entre a Paraíba e o Rio Grande do Norte contou pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country Brasil, Mossoró (RN),...