80 anos de “O grande ditador”

Por

Há 80 anos, em 15 de outubro de 1940, o filme O grande ditador, de Charlie Chaplin, estreou em Nova York. Quando foi exibida em Londres, dois meses depois, a sátira sobre Adolf Hitler já vinha precedida pelas reações do outro lado do Atlântico.

“Uma obra verdadeiramente extraordinária de um artista verdadeiramente grande. E, de um certo ponto de vista, talvez o filme mais significativo que já foi produzido”, elogiou na época o jornal The New York Times.

Na Europa, a Segunda Guerra Mundial se propagava, e ninguém sabia ainda como as tropas alemãs seriam detidas. Os espectadores foram confrontados, portanto, com um conteúdo que não poderia ser mais atual e ameaçador.

Horror real

Em 1940, Charlie Chaplin estava entre os maiores artistas e comediantes do cinema. Muitos se surpreenderam que ele tivesse escolhido um tema tão delicado para seu primeiro filme inteiramente sonorizado.

O próprio cineasta revelaria mais tarde que não teria como encenar sua obra, se na época toda a extensão do terror nazista já tivesse vindo à tona. “Se soubesse do horror dos campos de concentração alemães, eu não teria podido fazer O grande ditador“, admitiu.

O autor americano Paul Duncan, especializado em biografar cineastas, compilou essa e outras histórias em The Charlie Chaplin archives (Os arquivos de Charlie Chaplin, em tradução livre). Através de ensaios, fotos e outros documentos, em parte inéditos, a publicação documenta a obra do cineasta britânico. Um capítulo central é dedicado a O grande ditador.

Fonte:DW

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
36,125SeguidoresSeguir
Paula Tooths
Paula Tooths
Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de oito títulos publicados no Reino Unido. | Londres - Miami

Thanksgiving Day – o feriado Americano que comemora o Dia de Ação de Graças

Nos Estados Unidos Tudo começou em 1620, quando um pouco mais de 100 "Pilgrims", ou peregrinos, povos nativos da Inglaterra embarcaram para a América num...

13.ª Festa do Cinema Italiano

A 13.ª Festa do Cinema Italiano, adaptada aos tempos de pandemia da covid-19, arranca na quarta-feira em Lisboa, com a exibição de “Pinóquio”, de...

Home office: deveria ser um direito?

A possibilidade de trabalhar à distância 24 dias por ano – é isso que o ministro alemão do Trabalho, Hubertus Heil, quer para os...