Friday, December 3, 2021

Conheça os benefícios de um gramado sintético no Maracanã, palco da próxima final da Libertadores

Por

O Estádio Jornalista Mário Filho, popularmente conhecido como Maracanã, é o palco esportivo mais emblemático do Brasil. Local de diversas grandes decisões, entre elas, duas finais de Copa do Mundo, o Maracanã vai receber a final da Libertadores no próximo dia 31 de janeiro de 2021.

No entanto apesar da sua história e importância para o futebol brasileiro e mundial, o estádio, que completou 70 anos no último dia 16 de junho, tem sido alvo de críticas por causa do gramado. Jogadores, técnicos, dirigentes e profissionais da imprensa esportiva têm chamado a atenção para o mau estado da grama do Maracanã.

Para Alessandro Oliveira, diretor-presidente da Soccer Grass, empresa especializada em instalação de gramado sintético em diversos estádios do mundo, inclusive no Allianz Parque, o problema do Maracanã seria resolvido com a implementação deste tipo de sistema no local.

“Com um gramado sintético, o Maracanã teria uma planicidade, ou seja, a grama seria completamente plana, sem buracos e poças, e o jogo iria fluir melhor. A bola rolaria com mais facilidade. Um dos grandes problemas do estádio atualmente é que a cobertura não deixa o sol bater no gramado. A fotossíntese é feita com lâmpadas. Isso acontecia no Allianz Parque também, mas, após instalarmos nossa grama lá, as lâmpadas estão à venda porque perderam função na arena”, disse Oliveira.

De acordo com o diretor-presidente da Soccer Grass, o gramado sintético geraria uma economia para a administração do Maracanã, não apenas na energia, com a inutilização das lâmpadas para a fotossíntese, mas, também, na manutenção.

“Não haveria todo o custo de manejo com o gramado original e nem com viveiro. Só nisso, calculo uma economia de quase R$ 2 milhões anuais. Sem falar que a manutenção do piso sintético chega a ser até 70% mais barata”, destacou.

*Eventos*

Mais do que economizar, ao adotar a grama sintética, a administração do Maracanã poderia aumentar o faturamento com a utilização do estádio para outras atividades, além do futebol, após a liberação das autoridades sanitárias.

“Shows musicais e outros eventos geram mais receitas ao estádio. Com o gramado sintético, há a possibilidade de organizar um espetáculo em um dia e, no outro, já ter uma partida de futebol no local normalmente, sem prejuízo ao gramado. É só o tempo de desmontar toda a estrutura montada para o show. Temos o exemplo do Allianz Parque, onde usamos o Stadium System, que foi pensando no todo e não apenas nos jogos. É uma arena multiuso e que permite jogos de alta performance. O Drive-Thru, que foi realizado recentemente na arena do Palmeiras, não seria possível em um gramado natural”, salientou Oliveira.

*Melhora no desempenho dos jogadores*

O diretor-presidente da Soccer Grass também ressaltou a melhoria nas partidas de futebol. Com uma grama sintética, segundo Oliveira, não há mais o famoso “morrinho-artilheiro” e buracos, que, além de prejudicarem a qualidade do jogo, oferecem riscos aos atletas.

“O futebol é mais limpo e bonito no piso sintético. Se o jogador der um passe correto, a bola vai chegar ao companheiro de time. Não tem como não chegar. Ela vai chegar do jeito que o atleta desejar. A partida fica mais dinâmica e mais rápida. Já conversei com alguns jogadores e eles se sentem mais à vontade na grama sintética, pois não precisam olhar para o chão e se preocupar com irregularidades”, afirmou.

Por fim, Oliveira pontuou que, com chuva ou com sol, o gramado sintético é o mesmo do início ao fim do jogo. “Na grama natural, percebemos que, com 15 ou 20 minutos de partida, o piso já apresenta várias falhas. Isso não acontece com o nosso gramado”, finalizou.

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
34,745SeguidoresSeguir
Redação
Desde 1998, com foco numa maior oferta de conteúdo relevante e de interesse público, o Grupo A Hora é uma agência de noticias, ciente das preocupações da comunidade.