Friday, December 3, 2021

Covid: as principais vacinas

Por

Pfizer-Biontech (BNT162b2)

Desenvolvida pela alemã Biontech e produzida pela americana Pfizer, é uma vacina de RNA mensageiro (mRNA). Seu princípio é fazer o próprio corpo produzir a proteína do vírus. Depois que o material é injetado no corpo humano, ele instrui o organismo a produzir a proteína, incentivando a fabricação de anticorpos contra Sars-Cov-2. O produto exige a aplicação de duas doses.

AstraZeneca (AZD1222 ou ChAdOx1 nCoV-19)

A tecnologia usada chama-se vetor viral recombinante, que usa um adenovírus incapaz de causar doenças. No corpo humano, a vacina incentiva a produção da proteína do coronavírus, que o sistema imune reconhece como ameaça e destrói. Quando o Sars-Cov-2 infecta o organismo de verdade, o corpo reconhece e combate o vírus. São necessárias duas doses.

Moderna (mRNA-1273)

Também usa a tecnologia de RNA mensageiro, que imita a proteína spike, específica do vírus Sars-CoV-2, que ajuda na invasão das células humanas. A cópia não é nociva como o vírus, mas desencadeia uma reação das células do sistema imune. Ela também deve ser aplicada em duas doses. Como todas as vacinas contra covid-19, é aplicada em forma de injeção intramuscular.

Janssen, da Johnson&Johnson (Ad26.COV2-S)

O produto da farmacêutica Janssen exige a aplicação de apenas uma dose. Sua tecnologia é baseada em vetores de um tipo de vírus que causa resfriado comum. Na vacina, parte da proteína das espículas do vírus é colocada no adenovírus (que é o transportador). No corpo vacinado, inicia-se um processo de defesa, com a produção de anticorpos contra o invasor e a criação de uma”memória” contra o vírus.

Sputnik V (Gam-COVID-Vac)

Do laboratório russo Gamaleya, é uma vacina de vetor viral, que usa outros vírus manipulados para serem inofensivos ao organismo, mas podem induzir o combate à covid-19. Injetados no corpo, eles entram nas células e as fazem produzir e exibir essa proteína. Isso alerta e aciona o sistema imune. A Sputnik usa adenovírus diferentes na primeira e segunda doses, para reforçar a resposta imunológica.

SinoVac (CoronaVac)

A vacina da farmacêutica chinesa Sinovac é fabricada no Brasil pelo Instituto Butantan. Sua tecnologia se baseia na manipulação em laboratório de células humanas infectadas com Sars-Cov-2. A vacina é produzida com fragmentos inativados do vírus, ou seja, ele não pode se reproduzir. Depois de receber a dose, o sistema imunológico começa a produzir anticorpos para combater o Sars-Cov-2.

Fonte:DW

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
34,745SeguidoresSeguir
Paula Tooths
Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de oito títulos publicados no Reino Unido. | Londres - Miami