Friday, December 3, 2021

GIGANTES DOS MARES

Por

A evolução

Um dos maiores navios de contêineres do mundo, o MOL Triumph, faz uma linha regular entre a Europa e o Leste Asiático. Na embarcação da japonesa Mitsui O.S.K. Lines (MOL) cabem 20.170 contêineres padrão (TEU).

Cada vez maiores

O maior porta-contêineres do mundo é o OOCL Hong Kong, com capacidade para 21.100 contêineres standard. Há 25 anos, no maior navio cargueiro do mundo cabiam 4.442 contêineres. Os navios-tanque, hoje, são maiores ainda.

O mais longo do mundo

O petroleiro Jahre Viking , de 458 metros de comprimento, necessitava de mais de 6 km para parar totalmente. Por causa de seu tamanho e das dificuldade de manobrar, podia acessar poucos portos no mundo e não passava pelos canais do Panamá, de Suez e da Mancha. De 2004 a 2009, ele navegou com o nome Knock Nevis, e em 2010 foi desmanchado.

Pequena cidade no mar

O maior navio de cruzeiro do mundo é o Harmony of the Seas. O navio de 362 metros de comprimento tem 20 restaurantes, 23 piscinas, o maior escorregador em um navio e um parque com 12 mil plantas. Em seus 16 andares, pode levar mais de 6.300 passageiros e 2.100 tripulantes. A companhia de navegação americana Royal Caribbean Cruises pagou por ele mais de um bilhão de euros.

Gigante só para passeios

Diversos xeiques, oligarcas e outros bilionários competem entre si para ver quem tem o maior iate. Muitas embarcações chegam a ser ampliadas ainda no estaleiro, antes da viagem inaugural, só para superar a doa rivais. O maior do mundo no momento, o Azzam, de 180 metros de comprimento e de propriedade de um xeique saudita, tem heliporto, sistema antimísseis e submarino próprio.

Veleiro de oito andares

Um dos maiores iates privados do mundo, o S/Y A (Sailing Yacht A), foi desenhado por Philippe Starck para o multimilionário russo Andrey Melnichenko. O tamanho da vela corresponde a meio campo de futebol. A embarcação tem 143 metros de comprimento, oito deques, três piscinas, submarino próprio e uma área para observação subaquática.

Navio de guerra mais caro

O porta-aviões americano USS Gerald R. Ford, de 337 metros de comprimento, custou 13 bilhões de dólares. Ele está sendo usado para treinamentos desde abril último. A Marinha americana tem 18 porta-aviões em operação. A nova classe Ford lançará os aviões de forma mais rápida e eficiente: com catapultas eletromagnéticas em vez das atuais, à vapor do próprio navio.

Supernavios russos

Blocos de gelo de três metros de espessura não são problema para o quebra-gelo nuclear russo Arktika. Ele é o maior em seu gênero, segundo o site estatal russo “Sputniknews”. A embarcação deixou o estaleiro em 2016 e, a partir do final do ano, sua tarefa será abrir caminho para os navios com gás e petróleo em torno do Ártico.

Gigante lento

Thialf é o maior navio grua semi-submersível do mundo, podendo mover cargas de até 14.200 toneladas e variar seu calado entre 11,8 e 31,6 metros. Ele é usado principalmente para a montagem de plataformas em alto-mar. O casco é composto por duas estruturas flutuantes que sustentam a superestrutura sobre quatro pilares. Quando se movimenta, a velocidade máxima é de 11 km/h.

Transporte de navios

Plataformas marítimas ou mesmo um navio inteiro podem ser transportados pelo Dockwise Vanguard. O maior navio de transporte de embarcações do mundo tem 275 metros de comprimento e é submersível. Depois que a carga é puxada para cima dele por rebocadores, o navio submerge da água para se deslocar.

Maior profundidade

O submarino Deepsea Challenger foi construído secretamente na Austrália de 2005 a 2012 com o objetivo de chegar ao ponto mais profundo da Terra. O passageiro fica dentro de uma cabine de aço de alta resistência de 109 cm de diâmetro (paredes têm 64 mm). Assim, em 2012, o diretor James Cameron desceu à fossa das Marianas, o local mais profundo dos oceanos, atingindo 10.984 metros de profundidade.

O futuro

Os navios do futuro poderão andar sem tripulação e movidos a eletricidade. A Noruega vai testar um cargueiro autônomo a partir de 2018. O navio Yara Birkland deverá transportar fertilizantes na costa do país. Inicialmente terá um capitão, mas a partir de 2019 será controlado à distância e, no ano seguinte, deve ser autônomo. Os especialistas acham que isso irá revolucionar o transporte naval.

Fonte:DW

SIGA-NOS

9,705SeguidoresSeguir
34,745SeguidoresSeguir
Paula Tooths
Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de oito títulos publicados no Reino Unido. | Londres - Miami